Daniel Senise

Daniel Senise

Almeidina

O trabalho de Daniel Senise é meditativo, revisitando permanentemente as questões ontológicas da pintura, do espaço e da luz. Os trabalhos apresentados na Casa França-Brasil (Rio de Janeiro, 2011) e no antigo Hospital Matarazzo (São Paulo, 2014) monumentalizaram as pesquisas que marcam a sua obra desde a década de 1980, abrindo-se então a um novo campo de experiências e evocações históricas, materiais e poéticas. O vestígio, o indício, a memória, a ausência e a matéria são revelados a partir da depuração, do recorte e da impressão direta na epiderme de edifícios vazios. Na mesma linha, Daniel Senise realiza, especificamente para o Convento de Santa Clara-a-­Nova, Verônica (2019), uma obra de grande escala que restaura parcialmente o longo corredor principal, revelando, como um falso duplo, por inerência arqueológica e luminosidade mística, os vestígios, as memórias e os fantasmas das sucessivas temporadas de ocupação e abandono do edifício.

Voltar